ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 31 de dezembro de 2011

Marcas do que se foi, sonhos que vamos ter...


2011 está terminando e parece que foi ontem que eu escrevia o balanço de 2010 e minhas expectativas para o novo ano. Quando me transporto para o dia em que escrevi o post Em busca de um 2011 a ser sonhado e vivido, percebo o quanto as coisas mudaram de lá pra cá.

E observo que, embora pareça que o ano tenha passado voando, ele foi até beeem comprido se eu analisar o tanto de coisas que foram vividas (e sonhadas). Bem vividas, diga-se de passagem. Bem sonhadas também. Mudanças, amores, alguns planos concretizados, algumas coisas em que deixei a desejar. Agi certo muitas vezes, pisei na bola em outras - mas sempre, SEMPRE querendo acertar. 

Neste fim-de-ano, especialmente, sinto falta de blogar. E aqui vai o meu pedido de desculpas para os queridos leitores do Animando-C, com minha justificativa. Mudei-me praticamente para a zona rural onde a conexão nem chega aos 3G e me faz sentir nos primórdios da internet. Não consigo assistir a um vídeo no Youtube, mas isso eu já considero até um luxo. Estou numa fase em que eu já ficaria feliz se eu conseguisse manter uma conexão estável por uma hora. Mas não: cai, e pior, não volta. Sinal, cadê você????

Eu até consigo ler e aprovar comentários no celular durante o dia, mas não posso respondê-los, porque estou no trabalho. O que quero dizer é: eu não abandonei vocês! Estou lendo o que escrevem. E também desejo dizer que estou bem de saúde - agradeço a preocupação e carinho de vocês nos comentários e emails. Continuo daquele mesmo jeitinho que vocês viram no filme Hepatite C, Sem Medo: vida normal, sem sintoma algum.

Bem, estou quase igual ao que vocês viram no filme. Uma das mudanças de 2011 foi um par de próteses de silicone, que me deixaram, digamos, mais "ajeitadinha". Eu tenho hepatite C, mas sou uma mulher normal, viu? =)

Ana Flor versão 3.3 - mais ajeitadinha

Vamos às notícias: em novembro, refiz todos os exames do perfil hepático. Tudo dentro do esperado: TGO, TGP e GGT levemente alteradas, como de costume - TGO = 49 U/L, TGP =  68 U/L, GGT =  95 U/L. A novidade é que em breve farei a tal elastografia hepática (ou Fibroscan) - exame não invasivo que substitui a biópsia. Claro que contarei tudo com detalhes pra vocês depois, em primeiríssima mão. Então, aguardem...

O retratamento ainda não está nos meus planos para 2012, mesmo com os inibidores de proteases - salvo se o resultado da elastografia indicar uma piora considerável no nível de fibrose, o que não há de acontecer. Já expliquei aqui o porquê: Nem todos os portadores de hepatite C usarão os novos medicamentos.

Vou dizer o que está nos meus planos para o ano novo: ser feliz! Mas isso vocês já sabiam, né?



Para terminarmos o ano, achei bem pertinente lembrarmos um trecho do famoso discurso de Steve Jobs na Universidade de Stanford em 2005:

Quando eu tinha 17 anos, li uma frase que era algo assim: “Se você viver cada dia como se fosse o último, um dia ele realmente será o último.” Aquilo me impressionou, e desde então, nos últimos 33 anos, eu olho para mim mesmo no espelho toda manhã e pergunto: “Se hoje fosse o meu último dia, eu gostaria de fazer o que farei hoje?” E se a resposta é “não” por muitos dias seguidos, sei que preciso mudar alguma coisa.
Lembrar que estarei morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a tomar grandes decisões. Porque quase tudo - expectativas externas, orgulho, medo de passar vergonha ou falhar - caem diante da morte, deixando apenas o que é apenas importante. Não há razão para não seguir o seu coração.
Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder. Você já está nu. Não há razão para não seguir seu coração.
O seu tempo é limitado, então não o gaste vivendo a vida de um outro alguém.
Não fique preso pelos dogmas, que é viver com os resultados da vida de outras pessoas.
Não deixe que o barulho da opinião dos outros cale a sua própria voz interior.
E o mais importante: tenha coragem de seguir o seu próprio coração e a sua intuição. Eles de alguma maneira já sabem o que você realmente quer se tornar. Todo o resto é secundário.

Deixemos o que é secundário em seu devido lugar!


Um 2012 bem especial para todos nós. E como escreveu brilhantemente a Tatiana Kielberman no Retratos da Alma: que ele venha leve!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Sócrates e a cirrose

No início de dezembro, amantes do futebol no Brasil e no mundo lastimaram a morte de Sócrates - ícone do futebol elegante e ofensivo, segundo a agência Reuters. 

Obrigada, Guilherme Bandeira!

O ídolo sofria com uma cirrose que, segundo ele próprio, teria sido causada pelo uso abusivo de álcool

A causa da morte: choque séptico. Calma, a Wikipedia explica:
Choque séptico é o termo médico usado para designar a falência circulatória aguda de causa infecciosa. 

Ou seja, Sócrates não morreu de cirrose, mas devido a uma infecção alimentar. Lembremos apenas que se tratou de uma infecção num paciente que apresentava a saúde bastante debilitada pelo quadro cirrótico: somente no segundo semestre deste ano foram duas internações por hemorragias digestivas. A situação era considerada bastante grave pelos médicos.   

E o que os tais sangramentos digestivos tinham a ver com a cirrose? Reportagem do Jornal da Record de 06/09/2011 explica:

A cirrose compromete o funcionamento do fígado e o órgão vai, as poucos, endurecendo e perdendo suas funções. Com o fígado fibroso, a passagem do sangue que vem do intestino sofre um bloqueio e provoca uma pressão grande no vaso que transporta esse sangue, a veia porta. Essa disfunção faz o corpo desviar o sangue para o esôfago e estômago, causando a hemorragia.

Como portadora de hepatite C, a morte de Sócrates desperta aquele famoso "medinho" - se você é portador como eu, sabe do que estou falando. Como já citamos algumas vezes aqui no blog, a agressão do vírus da hepatite C ao fígado pode, em 5% a 20% dos casos, levar-nos à cirrose e suas complicações  (veja mais sobre isso aqui). Nos casos mais graves, a única saída é o transplante de fígado.

Isso quer dizer que eu, que nunca bebi, posso no futuro apresentar o mesmo quadro cirrótico do Doutor Sócrates. Posso, inclusive, precisar de um transplante.

Por isso, me sinto à vontade para fazer um apelo a você, que teve a sorte de não precisar de uma transfusão sanguinea quando criança  e ser infectado com hepatite C (que foi o que aconteceu comigo): CUIDE DO SEU FÍGADO! Não beba. Ok, se não conseguir fazer isso, beba com moderação. Não quero daqui a alguns anos estar brigando com você na fila de transplantes por um fígado novo. Eu não tenho escolha; você tem

Aproveito para lembrar que, especialmente em datas de festividades como as que nos encontramos agora, as pessoas tendem a beber mais e a se colocarem em situações de risco - para si e para terceiros que nada tem a ver com sua irresponsabilidade.

Portanto, fica o apelo para quem não tem hepatite:

1. Deixe o fígado pra mim! Não desejo tê-lo ao meu lado na lista do transplante - muito menos na minha frente. 
2. Não quero que os impostos descontados do meu "rico salário" sejam gastos com cuidados com seus ferimentos num hospital caso você tenha bebido, dirigido, se acidentado e se quebrado todo.
3. Deixe meus amigos e familiares vivos. Não dirija alcoolizado perto deles.

Se você tem hepatite, já sabe que não deve beber, né? Né??? Só pra lembrar... =)


Saiba mais na internet: 



domingo, 30 de outubro de 2011

Outubro Rosa - uma história e um alerta


Rosa é a cor do laço que simboliza a luta contra o câncer de mama (e minha cor preferida!).  

Outubro é o mês mundial de luta contra essa doença, que atinge principalmente mulheres, mas também homens.

Outubro Rosa é o movimento criado para estimular as pessoas a estarem atentas ao seu corpo e, assim, poderem diagnosticar o câncer no início - o que garante ótimas possibilidades de cura.


No post Outubro Rosa: o câncer de mama e a hepatite C, eu falava sobre porque eu e você - seja mulher ou homem - não temos desculpas para  negligenciar um assunto tão sério.

Hoje quero compartilhar com vocês uma história que reforça ainda mais esse alerta. No mês passado, escrevi sobre um casamento que só ocorreu pela solidariedade de uma família que doou órgãos. Júlio, que recebeu um transplante de fígado ainda bem jovem, casou-se no final do ano passado com a Aretha, como vocês puderam acompanhar em Doação de órgãos: por que devemos doar?.

Final feliz? Quase. Alguns meses depois, começou a luta da jovem Aretha, 29 anos, contra o câncer de mama. Ela gentilmente aceitou compartilhar essa história conosco e conta abaixo as batalhas que vem travando em busca da cura.

Obrigada, Aretha, por dividir conosco sua história em forma de alerta. Estamos torcendo por você!



Sou Aretha Glécia Fernandes, mossoroense, 29 anos de idade.

Em junho do ano corrente resolvi realizar uma série de exames, não apresentava nenhum sintoma, coisas de rotina mesmo, tive só uma certa “implicância” com a mama ao fazer um auto-exame, mas nada perceptível.

Entre os exames solicitei uma ultra-som mamária, onde foi detectado um pequeno nódulo, com pouco mais de 1 cm. Então procurei um médico da área e comecei minha trajetória. Como não tenho histórico familiar, sou jovem e o nódulo muito pequeno, era quase descartada a possibilidade de ser um nódulo maligno, mas começamos a investigá-lo. O primeiro passo foi fazer a pulsão e fazer a primeira biopsia. Para minha surpresa foi constatado que era compatível com maligno, mas como não tinha 100% de certeza, resolvemos fazer uma pequena cirurgia para a retirada do nódulo, a mesma aconteceu em Julho e realizou-se a segunda biopsia. Infelizmente foi confirmado... eu tenho uma doença, que em outras gerações não se falava nem o nome, eu tenho câncer. Foi ai que entendi – não era uma “implicância” e sim um aviso de Deus. A princípio tive aquela reação de “não caiu a ficha”, depois conversando com meu esposo e amigos, entendi que eu tinha um problema sério, mas ia me tratar e me recuperar. Minha fé e apoio de todos me tranqüilizavam cada vez mais.

O próximo passo era resolver como seria o tratamento. Os médicos decidiram pela retirada da mama, outro choque, mas não um desespero. E eu disse: vamos fazer o que for melhor para minha saúde. No final de Agosto foi feita a cirurgia da retirada e a reconstrução na mesma hora. Graças a Deus e aos profissionais deu tudo certo, a cirurgia foi bem sucedida e estou me recuperando bem. Dando continuidade ao tratamento, estou fazendo sessões de quimioterapia e provavelmente precise da radioterapia. Como todos sabem, é um tratamento doloroso por causa das reações causadas, mas como disse uma amiga que já passou por ele: “é muito difícil, mas passa e depois que passar você vai se sentir mais feliz e mais forte!”

Estou bem, com exceção dos quatro primeiros dias após cada sessão, não sinto nada, me alimento bem e sigo com fé cada dia. É um momento difícil, fico torcendo para que passe logo, mas tenho certeza que vai continuar dando tudo certo.

O nosso Pai celestial é tão Maravilhoso que colocou as pessoas certas no momento certo em minha vida. Porque desde que descobri meu problema, fui e estou sendo acompanhada por “anjos”, uma equipe médica incontestável. Sou muito grata a todos, registrando aqui a Dra. Isabele Trindade, dr. Dennys Fowler, dr. Marcos Arruda, dra. Valéria Karlla, dra. Danielle Matias, toda a equipe de fisioterapia, enfermagem e assistentes. E ainda os médicos da família que também me apoiam, o dr. Sthephano Fernandes e dra. Charlene de Oliveira, obrigada por tudo.

É óbvio que para passar por tudo isso com a força, fé e tranqüilidade que estou tendo, eu sou fruto de um “alicerce” bem feito – minha família – é minha fortaleza, todos voltados para mim, dando apoio, amor, carinho que preciso e até mais, por isso encho o peito em dizer: obrigada, amo todos vocês! Meus amigos... nem lembrava que tinha tantos. Pois é, a vida nos faz seguir caminhos diferentes e nos distanciamos das pessoas, até mesmo sem perceber. Mas realmente amigos são amigos até de longe. Quantas ligações, mensagens e simples frases de força. No trabalho? Não foi diferente, me apoiaram em tudo e sempre se disponibilizaram em ajudar no que fosse preciso. A vocês meus amigos, também agradeço muito e de coração. Quanta coisa boa a minha volta, mas ainda tem mais... Meu esposo. Ele é um exemplo de vida, transplantado há três anos, guerreiro, fervoroso e uma fortaleza, está sempre ao meu lado, não me deixa fraquejar e me acompanha em tudo. Faltam palavras para agradecer o apoio, a compreensão, a cumplicidade, o amor e a paciência nos dias ruins. Portanto vou agradecer dizendo obrigada, que o amo muito e que estarei sempre pronta para o que precisar.

Diante de tudo, deixo meu apelo, não só às mulheres, mas aos homens também, façam exames freqüentemente. O auto-exame é bom, mas em alguns casos (como o meu) não é possível ser diagnosticado o problema. A medicina disponibiliza exames suficientes, como ultra-sonografia, mamografia, entre outros. Lembrando que as pessoas que tenham a partir de 40 anos de idade, têm direito a fazer mamografia pelo SUS. Usem meu exemplo para entender que o câncer de mama pode acontecer em qualquer idade, por várias causas, até mesmo desconhecidas. Sabemos que o câncer de mama tem cura sim, principalmente se diagnosticado cedo. Prevenir nunca é demais. E para as pessoas que descobriram o câncer, já passaram, estão passando ou irão passar pelo tratamento, eu deixo três palavrinhas que tenho sempre em meu coração: fé, força de vontade e tranqüilidade.

Abraço a todos, fiquem com Deus e Nossa Senhora.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Doação de órgãos: porque devemos doar

Hoje, 27 de setembro, é o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Coloquemos esse assunto em pauta em nossas casas (mesmo não pretendendo desencarnar tão cedo!), porque, para tornar-se doador, basta manifestar sua vontade em vida. Portanto: fale para sua família.


Para chamar a atenção para a importância da doação de órgãos, quero compartilhar uma belíssima história com vocês. Vou começar pelo final: o casamento de Julio e Aretha, em 18 de dezembro de 2010.  

Arquivo pessoal Julio Fernandes

Arquivo pessoal Julio Fernandes

Repararam no topo do bolo? Na placa de "Doe órgãos"?
Pois bem, esse casamento só aconteceu porque uma mãe, no momento da perda do filho (imagino que a maior dor pela qual uma mãe possa passar), autorizou a doação dos órgãos. Julio Cesar Fernandes de Almeida, um jovem de 28 anos na época, recebeu o fígado doado e teve a chance de continuar vivendo.  

Conheci o Julio Fernandes no Twitter. O que tínhamos em comum? Ele havia feito um transplante de fígado e eu talvez um dia precise de um.

Como já contei a vocês, dependendo do comprometimento hepático causado pelo vírus da hepatite C, o transplante passa a ser necessário. Minha Dinda Lia, que também tem hepatite C, passou pelo transplante de fígado há alguns anos. Meu amigo Fernando, do Grupo Hércules, também. Ambos passam bem!

Comovida com a história, pedi ao Julio para compartilhá-la com os leitores do Animando-C. Acompanhem abaixo o depoimento dele:

Aos 23 anos de idade, comecei a apresentar alguns problemas de saúde. Fui a diversos médicos e nenhum constatou de fato o meu diagnóstico: informavam que apresentava um problema no fígado e a única recomendação recebida foi tirar do meu “cardápio” bebidas alcoólicas - o que foi fácil, já que não era muito de ingerir bebidas. 

Mais ou menos cinco anos depois, apresentei ascite - retenção de liquido no corpo (popularmente conhecido como água na barriga), foi então que uma médica informou que eu apresentava um problema grave no fígado e que em 10 anos teria de ser submetido a um transplante

Na hora em que a doutora disse aquilo, parecia que um prédio de 100 andares caía sobre minha cabeça. Não conseguia me controlar: chorava feito uma criança, tentando entender. "Meu Deus! Não bebo, não fumo, por que logo comigo?" 

Procurava explicações, mas Deus me deu a cruz exatamente do tamanho que eu podia carregar. Todos nós temos problemas, dificuldades, cada um com sua cruz. O peso dela depende de como reagimos: se escolhemos só reclamar, a cruz fica realmente muito pesada. Mas se vamos à luta, com fé e vontade de vencer, a cruz fica mais leve, mais fácil de ser carregada. 

Nota da Ana Flor: É isso aí, Julio! Esse é também o espírito do Animando-C!

Lembro de procurar na internet algo que explicasse o que era um transplante de fígado, como era a recuperação, enfim eu queria saber tudo, mas por incrível que pareça não encontrei nada. 

Até que um dia, num táxi, conheci uma moça que tinha uma amiga que era transplantada. Coincidência? Para mim, era a mão de Deus colocando um anjo na minha vida. Consegui falar com a transplantada e todas as minhas dúvidas foram esclarecidas.

Quando eu estava com 28 anos de idade, fui encaminhado para a fila de transplante.  

Peço licença para explicar algumas coisas: para entrarmos em um fila de transplante de fígado, temos que fazer inúmeros exames, é através desses exames que sabemos o nosso MELD (MELD - Model for End-stage Liver Disease - é um valor numérico, variando de seis (menor gravidade) a 40 (maior gravidade), usado para quantificar a urgência de transplante de fígado em candidatos com idade igual  ou maior a 12 anos. É uma estimativa do risco de óbito se não fizer o transplante nos próximos três meses, após sair esse resultado a equipe médica encaminha o paciente para passar por uma equipe de enfermagem, nutricionista, fisioterapia, psicologia e cardiologia. O porquê disso tudo? Muita gente pensa que o transplante é uma cirurgia simples, e na verdade não é. Temos que tomar medicamentos para rejeição o resto da vida, horários para os medicamentos e qualquer erro podemos rejeitar o órgão e termos que retornar para a fila.  

Após dar entrada na fila de transplante, recebi uma ligação informando que era o 1º da fila e que não podia sair da cidade, pois a qualquer momento poderia estar recebendo o novo órgão. Não sei como explicar em palavras o tamanho da emoção que senti naquela ligação no dia 10 de setembro de 2008. 

No dia 13/09/2008, recebi a ligação da central de transplante, chamando para fazer a cirurgia, mas não deu certo porque a doadora era uma moça de porte pequeno e tinha uma criança precisando do transplante (a prioridade maior no transplante é para crianças). 

No fim-de-semana seguinte fui chamado novamente. No dia 21/09/2008, fui submetido à cirurgia, que durou sete horas. A recuperação foi bem lenta, e, infelizmente, após 45 dias apresentei uma infecção generalizada. Retornei ao hospital e fiquei mais 30 dias internado. 

Para mim a recuperação desta infecção foi mais dolorosa que o próprio transplante. Lembro que o desespero quis tomar conta de mim, mas sempre fui um jovem de fé e Graças a Deus e à Virgem Maria consegui superar esse desafio. 

Sempre tive vontade de conhecer a família do meu doador e há pouco tempo consegui agradecê-la pessoalmente. A emoção do encontro foi enorme. Lembro que a mãe do meu doador disse que tinha perdido um filho muito querido, mas que através daquele gesto, sabia que tinha salvado várias vidas. E realmente salvou: não só a minha como também de mais duas pessoas. 

Por isso “DOAR, É CONTINUAR A VIVER”. Por meio de um gesto concreto de amor que é a doação, estou podendo realizar um sonho que é o de criar uma nova família. No dia 18 de dezembro de 2010, casei com uma pessoa muito especial chamada Aretha Glecia. Ela foi uma das minhas fortalezas para superar a dor e os desafios que o transplante requer.

Registro meu agradecimento especial ao meu pai Rosado de Almeida, à minha mãe Leni Fernandes e aos meus irmãos.

Quero registrar a frase que a Ana Barcellos postou no Twitter naquele dia, sinceramente uma das frases mais lindas que já li: “Emocionada por pensar que uma nova família se forma pela solidariedade de uma família que doou órgãos. Lindo demais!!!!!!!"

Nota da Ana Flor: Eu estava emocionada demais no dia do seu casamento.

Quero deixar para os leitores do Animando-C as seguintes palavras: 
“A pessoa que está na fila aguardando o transplante não deve ter medo de encarar esse desafio. Sabemos que não é fácil, mas temos que pensar POSITIVO, pois esse novo órgão vai trazer uma nova vida. Eu sempre encarei sem medo os obstáculos e com esse pensamento venho enfrentando esses desafios." 



Obrigada, Julio, por compartilhar sua história conosco. Além de uma mensagem de esperança, você reforça a importância de comunicarmos às nossas famílias nossa intenção de sermos doadores.

Quem quiser saber mais sobre transplante de fígado, recomendo que acesse o blog do Grupo Hércules  - Hepatites Virais - Doações e Transplantes de Fígado. Em especial, leiam o emocionante post abaixo, no qual o Fernando compartilha conosco o que sentiu quando descobriu o tumor.






quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Hepatite C e estratégias para manter-se saudável

Ser portador do vírus da hepatite C não significa ser doente. No entanto, ao longo do tempo, a agressão do vírus ao organismo pode ocasionar diversas enfermidades tanto no fígado como extra-hepáticas - algumas, inclusive, muito graves. Sabendo disso, é nosso papel investir em estratégias para manter o corpo saudável apesar do vírus da hepatite C

Eu não entrego meu corpinho tão facilmente ao vírus. Eu luto! E vocês?

The Strong Man (O Homem Forte) by Thomas Eakins
Imagem de domínio público

Ao longo dos dois anos do Animando-C, já falamos muitas vezes sobre estratégias para manter mente e corpo saudáveis (por isso você encontrará vários links ao longo deste post). 

Não existe fórmula mágica nem tampouco recomendações específicas para portadores de hepatite C: como meu infectologista gosta sempre de ressaltar, somos pessoas normais e devemos buscar fazer escolhas saudáveis em nosso dia-a-dia, como qualquer pessoa normal deveria fazer.

Infelizmente, muitos de nós não podem impedir que o vírus agrida o nosso corpo. Isso acontece no meu caso, por exemplo, que não obtive resposta com o tratamento da hepatite C. O que podemos fazer então? Fortalecer o organismo, por meio de prevenção, alimentação saudável, rotina de exercícios físicos e, claro, pensamento positivo.

Falando nisso, se você tem indicação para fazer o tratamento, você está no privilegiado grupo dos que têm a chance de impedir que o vírus agrida seu corpo. Tenha coragem e faça! Não tema o tratamento, tema o vírus. Posso dizer por experiência própria que, apesar de ser beeeeem ruim, o tratamento é totalmente administrável para a maior parte de nós.  

1. Acompanhamento médico

Imagem: WikiMedia Commons 
Em nossos cuidados com a saúde, devemos dar a importância devida à prevenção. Portanto, não podemos focar exclusivamente a hepatite C e esquecer todo o resto que compõe o nosso corpo. Lembro aqui da importância dos exames preventivos, inclusive do câncer de mama. E atenção, meninos: esse papo é com vocês também! Fiquem espertos. 

Leia também:

Como portadores de hepatite C, a consulta periódica com seu médico especialista para a realização de exames de acompanhamento é essencial. Lembre-se que qualquer alteração deve ser imediatamente analisada e, se necessário, tratada. Então, nada de preguiça ou de querer economizar tempo e dinheiro quando se trata de sua saúde: se seu médico pede pra lhe ver uma vez por ano, esteja lá. Se for de seis em seis meses (como é o caso do meu), esteja lá também.    

Leia também:


2. Alimentação saudável

Imagem: WikiMedia Commons

Diz o ditado que a gente é o que a gente come e eu levo isso muito a sério. Se minha alimentação é a ideal? Está longe de ser. Mas me esforço bastante e o importante é minha consciência tranquila de que estou a caminho: subindo um degrau por vez, dentro das minhas limitações.

Não deixe de ler o que escrevi sobre isso:


3. Rotina de exercícios físicos
Imagem: WikiMedia Commons

Tenho de confessar: acho muito chato fazer atividade física, mas não tenho escolha se desejo fortalecer meu organismo. Várias pesquisas mostram o impacto direto de uma rotina de exercícios físicos na saúde. Os estudam mostram também (graças a Deus!) que você não precisa ser um super-atleta ou maratonista para beneficiar-se com isso: uma caminhada moderada de 30 minutos por dia é suficiente. 

Se você está acima do peso, tem o dobro de motivos para encarar a atividade física e nem preciso discorrer aqui sobre os motivos, né? Já estamos cansados de saber o que o sobrepeso ocasiona à nossa saúde. 

Eu, mesmo magrinha (exibida!), tenho esteatose, que é o depósito de gordura no fígado. Isso é um problema grave e cada vez mais comum em nossa sociedade pós-moderna, que pode ocasionar distúrbio metabólico, aumento das transaminases, resistência à insulina e diabetes do tipo 2. Que droga, né? Não havendo tratamento com medicamentos, a única coisa a fazer é restringir o consumo de frituras e... dá-lhe atividade física, porque essa gordura não pode ficar lá no nosso amado fígado.

Falando nisso, você conhece a importância do fígado para nosso organismo? Leia em: Você tem fígado? 

4. Pensamento positivo

Imagem: WikiMedia Commons

Já falamos muito sobre o assunto, mesmo porque isso faz parte da origem deste blog - leia mais sobre a origem e objetivos do Animando-C aqui.
"Mens sana in corpore sano" (Mente sã em corpo são)
Dá pra ser otimista sendo portador de hepatite C? Eu acredito que isso é uma escolha que podemos fazer, sobre a qual você pode ler mais em: Otimismo todo dia.  


Aproveito este post para agradecer aos amigos e leitores que têm sentido minha falta aqui no blog e nas redes sociais. Adivinhem o que eu ando fazendo? Cuidando mais de mim! Há alguns meses venho investindo mais na atividade física e no cuidado com minhas horas de sono, o que diminui bastante o meu tempo disponível para o blog. Sorry!

Além disso, estou me dedicando mais à vida offline. Assistam ao vídeo que publiquei no Apenas Mulheres de Verdade e vejam do que estou falando. Tenho certeza que todos entenderão e desculparão a pouca interação e a demora nas respostas.

Hakuna matata!
Não sabe o que significa Hakuna Matata? Leia na Wikipedia


Para saber mais sobre a importância da atividade física, você pode consultar os seguintes artigos da Agência de Notícias das Hepatites, mantida pelo Grupo Otimismo:

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Otimismo todo dia

Este blog não se chama Animando-C por acaso. Existe toda uma história por trás da escolha do nome, que tem a ver também com uma escolha de vida. Eu poderia dizer que fiz esta escolha apesar da hepatite C, mas a verdade é que a doença, contraditoriamente, me ajudou a fazê-la.

  • Querendo saber mais informações sobre o blog, leia aqui

Flickr.com - CC vana_gwen
Certo dia, em alguma sala de espera, li um texto que vem ao encontro dessa história e copiei para compartilhar com vocês. Espero que gostem como eu gostei!

Quem pensar que o mundo é só feiúra, que é normal ser triste, doentio ou infeliz e que ninguém merece crédito, certamente apagará o sorriso dos lábios.
Não é com esse quadro mental que surgem a paz e o prazer de viver. Só com o otimismo, boa vontade e disciplina se consegue a estabilidade interior, a vontade de progredir e de colocar valores no coração, fazendo aparecer o sorriso.
O mundo não são as coisas feias e negativas. Nele existe o belo, a luz, a alegria e uma poderosa energia de amor dentro de cada um. Basta buscar e os achará.
Caminhe para a felicidade.
Quem só vê tristezas e feiúra, acaba triste e feio.

Lopes, Lourival. Otimismo todo dia. Editora Otimismo, 1999 p. 11

Como não quero acabar feia e triste, o melhor é buscar motivos para sorrir. Ou melhor, criar motivos para sorrir. E quando me deparo com as adversidades da vida? Lembro da famosa frase do Geraldo Vandré:

A vida não se resume em festivais.

Ou seja, a vida não se resume a isso ou àquilo. Mesmo porque, se há algo que não se resume é a vida.



Por favor, dêem um desconto ao vídeo. O melhor que achei desta versão gravada no festival também trazia imagens muito fortes da época da ditadura militar, o que desvirtuaria a emoção tratada neste post.





domingo, 7 de agosto de 2011

Dia Mundial da Hepatite 2011

28 de julho marcou o Dia mundial de luta contra as hepatites virais. Além da movimentação das organizações não governamentais, que já acontece há 10 anos tradicionalmente no mês de maio (saiba mais aqui), em 2011 alguns fatores parecem ter dado visibilidade maior à data. 

Um desses fatores foi a apresentação da série Hepatites: Epidemia Ignorada, pelo Fantástico,  que parece ter deixado a população mais sensível à problemática. Outro, sem dúvida, foi a forma como o Ministério da Saúde cuidou da campanha das hepatites neste ano. Como Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo, falou na cerimônia ocorrida no Ministério no dia 28 de julho: "há dez anos nós [ongs] batemos no governo; este ano é hora de bater palmas"

Eu e o Ministro da Saúde Alexandre Padilha - @padilhando
Cerimônia do Ministério da Saúde pelo Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais
28/07/2011 

A coisa parece já ter começado certa no planejamento: um grupo de trabalho formado por representantes da sociedade civil e técnicos do Departamento de DSTs, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde foi composto para discutir as diretrizes da campanha. Quem me conhece, sabe o quanto acredito na parceria entre governo e sociedade civil organizada. 

Vale ressaltar que o briefing para a agência de publicidade responsável pela campanha foi redigido pelos técnicos do Departamento com base nas discussões do grupo e, antes de ser encaminhado, foi enviado para a apreciação dos membros do GT. No retorno do material da agência, o grupo participou novamente por videoconferência.

Participaram do grupo de trabalho médicos infectologistas e hepatogistas representantes da Sociedade Brasileira de Infectologia, Sociedade Brasileira de Hepatologia e representantes dos programas estaduais e municipais. Em nome das ongs, estavam os presidentes da Aliança Independente dos Grupos de Apoio (AIGA) e do Movimento Brasileiro das Hepatites Virais (MBHV). Eu tive a grande honra de ser convidada para o GT para contribuir nas questões sobre internet e redes sociais.

Participei da reunião com o grupo de trabalho em 17/05/2011 e depois de uma reunião apenas com o pessoal do Departamento para discutirmos especificamente possíveis estratégias para as redes sociais. Saí de ambas muito satisfeita, porque é bom demais sentir-se verdadeiramente ouvida.   

O resultado? Confiram vocês mesmos! Eu adorei o vídeo e o site das hepatites virais, como também estou gostando muito da abordagem feita nas redes sociais.

Site www.hepatitesvirais.com.br

Cartazes da campanha

Vejam as fotos da cerimônia, que contou com a participação de ídolos do futebol de anos áureos.

Claro que eu escolhi um lugar para sentar bem em frente ao Ministro!

Os ex-jogadores Jairzinho e Wilson Piazza, e Mauro do Departamento DST/Aids/Hepatites Virais

Wilson Piazza e Dadá Maravilha

Dadá Maravilha - simpaticíssimo

O Ministério da Saúde enviou mensagem aos meus gestores agradecendo a minha liberação para contribuir neste trabalho. Também quero, mais uma vez, agradecer ao Vilobaldo, Edgard e Martha por sua sensibilidade e demonstração de responsabilidade social, uma das buscas de nossa empresa.


Curiosidades:

  • Enquanto eu esperava a cerimônia começar, eu tuitei e o ministro respondeu. É por essas e por outras que digo que ele é o ministro mais pop que já tivemos. O carisma em pessoa! 


  • Reparem a cor que minhas unhas estavam pintadas, para marcar a data:



Luta contra as hepatites na blogosfera


Quero reconhecer (e de público agradecer) os amigos que aproveitaram o Dia Mundial das Hepatites para alertar seus leitores para a problemática dessa epidemia silenciosa: 



Se alguém mais postou sobre o assunto e eu não linkei, me avise pelos comentários, ok?

sábado, 6 de agosto de 2011

Hepatite é coisa séria - saiba mais

"Hepatite é coisa séria. É silenciosa e pode não aparecer, mas conforme o tempo passa, pode virar uma doença grave e perigosa." Este é o alerta do vídeo produzido pelo Ministério da Saúde, no qual você pode conhecer as formas mais comuns de transmissão das hepatites, saber como prevenir-se e descobrir se você deveria fazer o exame de detecção das hepatites B e C o quanto antes. 






Eu adorei o vídeo e o site www.hepatitesvirais.com.br. E vocês, gostaram também?

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Hepatites B e D: epidemia ignorada

Segundo o Dr. Drauzio Varella, a hepatite B é responsável pela maior parte das mortes de jovens de 15 a 25 anos no Acre. Veja no terceiro episódio da série "Hepatites: Epidemia Ignorada", exibida pelo Fantástico, a grave situação das hepatites B e D na Amazônia.






Sinto muito por essas crianças. Sinto muito por essas mães.

E você, está protegido contra a hepatite B? Sabia que ela é transmitida sexualmente 100 vezes mais facilmente que a Aids? 100 vezes!!! Mas sabia que tem vacina? 

Fique atento às três doses da vacina da hepatite B. Para não esquecer, use o lembrete do site hepatitesvirais.com.br.  

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Hepatite C: passeata virtual para quebrar o silêncio

A série Hepatites - Epidemia Ignorada, apresentada pelo Dr. Drauzio Varella no Fantástico, está desvelando a muitos brasileiros uma realidade até então desconhecida: milhões de pessoas no Brasil podem estar contaminadas com um vírus potencialmente fatal e nem desconfiar disso, uma vez que as hepatites B e C não apresentam sintomas na maior parte das vezes. Já passou da hora desse silêncio ser quebrado! Participe da passeata virtual para ajudar que isso aconteça: www.quebreosilencio.com.br.

As hepatites estão muito mais perto do que as pessoas costumam imaginar. Se procurar, você poderá encontrá-las entre seus amigos e familiares e até mesmo no espelho - o que aconteceu comigo, como você pode ver no vídeo abaixo (1 minuto de duração):





28 de julho - Dia Mundial da Hepatite

Escolhida pela Organização Mundial da Saúde, a data visa alertar a população mundial para a importância da prevenção e necessidade de realização do exame das hepatites, pois quanto antes for descoberta a doença, maiores as chances de cura. Você pode pensar que está saudável porque não sente nada, mas sinto informar que EU TAMBÉM NÃO SINTO, e estou infectada com o vírus da hepatite C desde criança, há exatos 25 anos.


Quebre o silêncio

Você pode quebrar o silêncio sobre a Hepatite C de duas maneiras bem fáceis.

1) Acesse o site www.quebreosilencio.com.br e compartilhe as informações sobre a Hepatite C com seus amigos e familiares por meio da passeata virtual. Para participar da passeata, basta inserir seu nome de usuário de uma das seguintes redes sociais: Twitter, Facebook ou Orkut. Não se esqueça de usar a hashtag #quebreosilencio em suas postagens para divulgar a iniciativa!

2) Vá aos postos credenciados nas cidades de São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE) e faça o teste para diagnóstico da Hepatite C. É simples e rápido. As pessoas que tiverem resultado positivo terão encaminhamento médico necessário para tratamento da doença.


Coloque sua carinha nessa marcha virtual. A minha já está lá!



Você pode fazer o exame gratuito de hepatite B e hepatite C em todo o país. Basta ir a um dos endereços dos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).


Saiba mais

No dia 28 de julho será realizada a campanha “Hepatite C. Quebre o silêncio” com o objetivo de alertar o público a respeito da doença. Serão disponibilizados testes rápidos gratuitos para diagnóstico em São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Recife (PE). Na Web, o internauta pode saber mais sobre a doença no site www.quebreosilencio.com.br e participar de uma passeata virtual para mobilizar amigos e familiares.
O que é Hepatite C?
A Hepatite C é causada pelo vírus HCV, que é transmitido pelo contato com sangue contaminado. As formas mais comuns de contágio são o uso de agulhas e seringas compartilhadas e a manipulação de materiais contaminados que cortem ou perfurem a pele, como lâminas, bisturis e alicates.
Fatores de risco
Usuários e ex-usuários de drogas que compartilhavam agulhas e ex-atletas que dividiam medicamentos com seus companheiros (como injeções de energéticos, vitaminas e outros) têm maiores chances de estarem com o vírus. Além disso, todas as pessoas que receberam transfusão de sangue antes de 1992, inclusive transplantados, podem estar infectadas. Antes dessa data, o sangue das doações não era analisado para detecção desta forma de hepatite.
Diagnóstico e cura
A detecção da doença é muito importante, já que ela pode permanecer até 20 anos no organismo sem apresentar nenhum sintoma. As chances de cura com o tratamento adequado são maiores a partir de um diagnóstico precoce. Cerca de 20% dos infectados eliminam o vírus espontaneamente. Entre os 80% restantes, quase dois terços se recuperam se tratados corretamente.
No Brasil, estimativas mostram que há aproximadamente três milhões de pessoas infectadas e a doença representa a principal causa de transplantes de fígado no país. Mundialmente, mais de 500 milhões de pessoas estão infectadas com os tipos B ou C da doença – um índice dez vezes maior do que o número de portadores do HIV/Aids. 

domingo, 24 de julho de 2011

Hepatite C: Drauzio Varella alerta sobre a doença no Fantástico

O Dr. Drauzio Varella falou de pontos fundamentais sobre a epidemia de hepatite C na matéria de hoje no Fantástico. Quem perdeu ou quer rever, pode assistir abaixo:

Banner da campanha




Leve o banner do Dia Mundial da Hepatite para seu blog,
copiando o código abaixo:

terça-feira, 19 de julho de 2011

Hepatite C: boas notícias do Ministério da Saúde

No mês de julho, temos recebido boas notícias vindas do Ministério da Saúde sobre a hepatite C. Compartilho com vocês um resumo delas:


Novo protocolo de tratamento da hepatite C


No início deste mês, reportagem do Bom Dia Brasil causou muita repercussão. A matéria Interrupção do tratamento da hepatite C pelo SUS assusta pacientes mostrava que respondedores lentos, cujos médicos prescreviam estender o tratamento por 72 semanas, precisavam entrar na justiça para garantir o direito de continuar recebendo os medicamentos pelo SUS. 

Três dias depois, o mesmo jornal trazia a reportagem: "Ministério da Saúde anuncia mudança no tratamento da hepatite C", noticiando que o Ministério aprovou alteração no protocolo de tratamento e aumentou para 72 semanas o prazo de fornecimento do medicamento Interferon Peguilado.

Leia aqui os comentários de Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo, sobre as alterações no protocolo, que passaram a vigorar ontem, 18 de julho: Principais pontos do novo protocolo de tratamento da hepatite C. Um grande avanço! 


Teste NAT em todas as bolsas de sangue


No post Transfusões de sangue são 100% seguras atualmente?, conversávamos sobre a janela imunológica  e o risco de, ainda hoje, sermos contaminados com vírus como o da hepatite C em transfusões de sangue - como ocorreu comigo quando criança. 

Agora, por decreto do Ministério da Saúde, todo cidadão brasileiro tem direito, por lei, de ter o sangue que receberá testado pelo NAT. Esse teste, o qual mencionei no post citado acima, reduz significativamente o tempo de detecção de um vírus após infecção, reduzindo (e muito!) as possibilidades de transmissão dos vírus da Aids, hepatite B e hepatite C em transfusões sanguíneas.



Testes rápidos de detecção das hepatites B e C


Outra boa notícia: a partir de agosto, o SUS disponibilizará nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTAs) testes rápidos de detecção das hepatites B e C. Segundo o Ministro da Saúde @padilhando“Queremos acolher os pacientes o mais rapidamente possível. Com o diagnóstico precoce, podemos orientá-los para evitar a transmissão da doença e iniciar a oferta do tratamento adequado, garantindo melhor resposta do organismo e mais qualidade de vida”.


Como eu sempre digo: temos de criticar e cobrar o Ministério da Saúde quando necessário - isso faz parte de nosso papel de cidadãos -  mas também precisamos aplaudir quando boas iniciativas são implementadas.
Então... Clap clap clap!

E tem mais: na próxima semana, mais precisamente no Dia Mundial da Hepatite, 28 de julho, o Ministério da Saúde lançará sua campanha de combate às hepatites. Aguardemos...


Fontes de consulta:

domingo, 17 de julho de 2011

Hepatites no Fantástico - Epidemia Ignorada

Dr. Drauzio Varella alerta a partir de hoje para o perigo silencioso das hepatites em nova série do Fantástico: "Hepatites: Epidemia Ignorada".



A matéria de hoje falou sobre a hepatite B. Apesar de muito bem produzida e de trazer informações importantes, estranhei o fato de não ter sido citada a transmissão sexual desse tipo de hepatite, uma vez que ela ocorre até 100 vezes mais fácil que a transmissão do HIV por via sexual

Mesmo assim, valeu o alerta: pelas manifestações que acompanhei no Twitter, muita gente sairá em busca da vacina essa semana. É necessário lembrar de tomar as três doses da vacina corretamente para estar imunizado. E, mesmo assim, é interessante fazer exame após a terceira dose, para verificar se a imunização está ativa. O alerta é do Grupo Hércules, após observar casos de pessoas infectadas com hepatite B mesmo com a vacina. 


Prevenção é tudo: tome a vacina, tenha os cuidados necessários (como levar seu próprio kit manicure ao salão) e, claro, use preservativo em todas as relações sexuais. Sim, eu sei que usar camisinha é ruim, já falamos sobre isso aqui: Falando francamente sobre camisinha. Mas precisa, ok?

Confira a reportagem do Dr. Drauzio Varella:



Para quem não sabe, no início do ano eu fui consultada pela produção do programa para participar dessa série, mas no final acabou não dando certo. =(

Na semana que vem, a séria abordará o grave problema da hepatite D, especialmente no norte do Brasil. Para saber mais sobre a série, consulte o site da Rede Globo: 
Drauzio Varella alerta sobre perigo da hepatite em nova série

sábado, 16 de julho de 2011

Projeto Voluntariando-C

No post 80 mil professores podem estar contaminados com hepatites B e C, eu alertava para a incidência dessa doença silenciosa entre os profissionais da educação e ressaltava seu importante papel na conscientização de seus educandos, quanto à prevenção e diagnóstico. Disponibilizei, inclusive, download de apresentação sobre as hepatites B e C, voltada para fins didáticos. 

Hoje quero compartilhar com vocês o belíssimo trabalho que a professora @SilviaRinaldi, de São Paulo, desenvolveu junto a seus alunos da 8ª série. Eles pesquisaram os temas doação de órgãos, transplantes, hepatite C e doação de sangue em blogs e perfis de redes sociais - devidamente selecionados pela professora, dentre os quais o Animando-C (pelo que fiquei muito honrada!).  Depois da pesquisa, desenvolveram o vídeo abaixo, que ficou demais! 





Parabenizo mais uma vez a iniciativa da querida @SilviaRinaldi e essa turminha que arrasou!

Sílvia e eu - conhecendo-nos pessoalmente em maio/2011

Atualização em 28/09/2011:
Leiam sobre a repercussão do projeto Voluntariando-C (que chegou até no Ministério da Saúde!) nos links abaixo:

sábado, 9 de julho de 2011

'This is Hepatitis...' blog

Já viram o Animando-C no site da World Hepatitis Alliance
Clique abaixo e confira. Amei!




sábado, 2 de julho de 2011

Fio da Vida - uma luta contra a hepatite C

No próximo dia 19 de julho, será lançado o livro Fio da Vida - uma luta contra a hepatite C, na charmosérrima Livraria Cultura do Conjunto Nacional, que fica na também charmosérrima Avenida Paulista.

O livro de Eli Angela Croffi de Camargo conta a vivência da autora com a hepatite C, que de antemão já sabemos ter um final feliz: sua cura! =)



Infelizmente, caro leitor, cara leitora, não poderemos encontrar-nos lá, porque tenho um evento importante de trabalho em Brasília na data. Mas estou super ansiosa para ler o livro, sobre o qual a querida Eli Angela me fala há algum tempo.

Já nem sei se eu e a Eli nos conhecemos aqui no blog ou nas comunidades sobre hepatite C no Orkut, mas o fato é que ela é uma das leitoras mais assíduas do Animando-C e muito querida.

Quem puder, prestigie o evento! Eu estarei lá em pensamento, torcendo pelo seu sucesso.


Atualização em  12/07/2011:
O livro Fio da vida - Uma luta contra a hepatite C já está disponível para compra nos seguintes sites:


domingo, 26 de junho de 2011

World Hepatitis Day no seu avatar

Faltando pouco mais de um mês para 28 de julho, dia mundial de mobilização contra a hepatite, você já pode colocar o símbolo do World Hepatitis Day em seu avatar no Twitter e Facebook. Faça isso clicando no link World Hepatites Day [World Hepatites Alliance], em seguida clique no botão "Add to profile picture" e siga os passos solicitados.



Se você tem hepatite B ou C, também pode compartilhar sua história no "Wall of Stories / Quadro de histórias" do site da World Hepatitis Alliance. A minha já está lá! Acesse: Quadro de Histórias.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Solidariedade: Pequena Érica

Apesar de buscar lidar com a hepatite C de uma forma otimista, nunca perco de vista a gravidade da doença e a necessidade de cuidados constantes. Às vezes (bem às vezes) também sinto medo, também entro em crise. Mas isso tudo torna-se insignificante quando me deparo com histórias como a da pequena Érica, que quero compartilhar com vocês.

Érica tem apenas 3 anos (a idade de minha filha) e mora aqui nos arredores de Brasília. Em julho de 2010, ela estava no carro da família quando ele incendiou-se. A menina teve 23% do corpo queimado, especialmente cabeça, rosto, mãos e pés.

Imagem capturada de vídeo do Youtube - SBT Brasília 27/01/2011

Assistam no vídeo abaixo a reportagem veiculada no SBT Brasília de 27/01/2011 e entendam a importância das cirurgias reparadoras na vida da pequena Érica.




As cirurgias e tratamento terão um custo de aproximadamente R$ 80 mil. Se é muito para nós de classe média, imaginem para a filha de um auxiliar de pedreiro e uma catadora de lixo.

Para ajudar a arrecadar esse dinheiro, criei o blog Pequena Érica, no qual estão as contas para doação em nome da menina e o link da vakinha online. Agradeço ao querido @profBauru pela ajuda no blog (mais uma vez!).




Sei que muita gente não gosta de fazer doações em dinheiro (eu, inclusive), mas, nesse caso, é de dinheiro para o pagamento das cirurgias que se necessita. Por favor, ajude como puder: doando e ajudando a divulgar. Se cada um doar um pouquinho, podemos fazer diferença na vida da menina! Tenho fé que sim! Desde já, meu muito obrigada.


Hepatites: um alfabeto de problemas

A, B, C, D, E... reportagem do Correio Braziliense de 16 de maio de 2011 levantou mais uma vez a problemática: as hepatites - doenças que não discriminam gênero, idade ou classe social - são muitas vezes silenciosas e, portanto, muitos infectados recebem o diagnóstico tardiamente. "Sem sintomas, com perigo" - alerta a matéria, que traz o depoimento e foto desta blogueira que vos escreve.


Edilson Rodrigues/CB/D.A Press  - Correio Braziliense 16/05/2011

A descoberta tardia da doença também ocorreu com a leitora Daniela, que deixou seu comentário hoje no post Portadores de hepatite C recebem indenização por omissão do Estado. Atualmente com 29 anos, ela foi diagnosticada com hepatite C apenas porque leu na internet sobre o risco de quem recebeu transfusão de sangue antes de 1993 ter contraído a doença e foi atrás.

Ela conta que, ao pedir o exame de hepatite C na consulta, ouviu da médica que dificilmente teria a doença, mas que faria a requisição por desencargo de consciência. Daniela conta: "Ao receber o diagnóstico, os sentimentos se misturavam... medo, raiva, impunidade... pois foram mais de 14 anos me tratando com diversos médicos e nunca sequer insinuaram que seria bom fazer o tal exame e (antes disso) eu nunca havia ouvido falar sobre essa doença. Se não tivesse pesquisado de uma forma outra, sabe-se lá quando eu iria descobrir o problema..." 


Será que foi apenas comigo e com a Daniela que isso aconteceu? A Organização Mundial da Saúde diz que não: segundo a OMS, mais de 3 milhões de brasileiros podem estar na mesma situação, podendo ter contraído o vírus em situações corriqueiras como uma ida à manicure

Saiba mais: Hepatite C: posso estar infectado sem saber?

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Tentando pegar hepatite C?

Quem disse que o alerta para o perigo de se ter contraído, sem saber, hepatite C em algum momento da vida precisa vir necessariamente numa mensagem carrancuda?

O vídeo abaixo do personagem Dennis mostra exatamente o contrário: de uma forma divertida, passa uma mensagem que é muito séria. Assistam! As legendas em português foram colocados pelo nosso leitor Daickson (obrigada!).



Tradução:
Tentando pegar hepatite C?
Não tem certeza por onde começar?
Bem, você sabe, você pode ter sido infectado sem nem mesmo ter tentado.
Lembra aquela vez que você pegou minha lâmina de barbear emprestada?
E que tal quando você fez uma tatuagem? (eu avisei que ia doer)
E quando nós fomos naquele feriado? [cena da cocaína] Nada mal.
[cena da transfusão de sangue] Nada mal também.
E quando você pegou emprestada minha escova de dentes?
Bem, o que você está procurando? Você não tem sintoma algum, mas como você sabe se você não tem sintoma algum ainda?
Já fez o teste?
Bem, então vá em frente!
Você conseguiu! Agora você se sente um cara esperto.

180 milhões de pessoas estão infectadas com hepatite C.
Muitas delas não sabem. Você pode ser uma delas?
Faça o teste.

E você, é esperto? Já fez o teste?
Então faça, porque a hepatite C está mais próxima do que você imagina: Hepatite C entre seus amigos e familiares.