ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 28 de julho de 2012

Aplicativo Dia Mundial da Hepatite no Facebook

Nesse aplicativo muito legal desenvolvido pela World Hepatitis Alliance, você pode criar um quebra-cabeças com os avatares de seus melhores amigos no Facebook para divulgar o Dia Mundial da Hepatite.

Existem duas opções:

  • o aplicativo monta um quebra-cabeças automaticamente pra você, com base em suas interações;
  • você mesmo seleciona a foto de 11 amigos que desejar.  




Para montar o seu, acesse: Mais perto do que você imagina - Facebook

Hepatites: o que o Ministério da Saúde tem feito?

Assista no vídeo abaixo a fala do Ministro da Saúde Alexandre Padilha sobre o que tem sido feito pelas hepatites no Brasil:


aaaa

Dia Mundial da Hepatite 2012

Hoje, 28 de julho, é o dia mundial de luta contra as hepatites virais.

Mais do que a luta diária de quem convive com a doença, é fundamental a luta para quebrar o silêncio existente em torno dela: as pessoas precisam saber que as hepatites estão muito mais perto do que elas pensam.



A hepatite pode estar ao lado... e também pode estar conosco, sem que sequer imaginemos isso. Uma vez que, na maior parte dos casos, as hepatites B e C não possuem sintomas, 95% dos infectados ainda não conhecem seu diagnóstico.  

Esse é o tema da campanha da Aliança Mundial das Hepatites para o Dia Mundial da Hepatite 2012.
Assista o vídeo e reflita: 


domingo, 8 de julho de 2012

Resignificando a existência

"É lindo ver quando alguém é capaz de resignificar sua existência."
Foi essa a frase que ouvi em minha última sessão de terapia, quando recebi alta há duas semanas. Havia iniciado o acompanhamento com a psicóloga ao começar o tratamento da hepatite C em 2008. Meu receio era o efeito colateral da depressão, considerando ter histórico anterior. 

Pode haver coisas belas mesmo quando começa a escurecer

Felizmente, a depressão não apareceu, mas continuei a terapia durante a recuperação, seguida da minha separação e depois de muitas mudanças. Foi um processo de auto-conhecimento e crescimento pessoal.

O balanço que fizemos naquela última sessão foi muito rico: fiquei orgulhosa de mim ao perceber de forma tão explícita a maturidade com que tenho conseguido me posicionar diante das coisas da vida. 

O mais interessante foi a reflexão verbalizada pela psicóloga de como a hepatite C foi central em tantas mudanças positivas que operei em mim e na minha relação com pessoas, fatos e situações. Eu já havia identificado isso, inclusive constatando que sou muito mais feliz hoje do que antes de descobrir a hepatite

Parece loucura pra vocês? Não estou dizendo que sou feliz por ter hepatite C, mas sim que na convivência com a doença consegui me tornar uma pessoa melhor e ter mais qualidade de vida. Essa é a verdade, por mais contraditório que possa parecer. 

Agora, Papai do Céu, acho que já avancei bastante, né? Já posso ficar curada? ;) 


A propósito, perguntei à psicóloga se ela tinha certeza que me daria alta depois de tudo que contei sobre meu fim-de-semana com os New Kids on the Block. Duas semanas antes, havia estado em São Paulo para o melhor show da minha vida e tido a oportunidade de encontrar com meus ídolos, tirar foto e tudo mais que uma fã tem direito. Ela respondeu, brincando: "esse ponto específico não tem cura, então não há como eu possa ajudar." Verdade!!! #feliz