ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 25 de agosto de 2012

A vitamina D na hepatite C

Há alguns anos, estudos vêm mostrando que a suplementação com vitamina D melhora as chances de cura de pacientes em tratamento da hepatite C. No final do ano passado, um estudo israelense comprovou que a introdução da vitamina D no tratamento interferon/ribavirina aumenta a resposta terapêutica, podendo dobrar as chances de cura.  

Foto: Marcelo Alves - Flickr CC

Outros estudos referentes à vitamina D revelam que é comum que portadores de hepatite C tenham deficiência dessa vitamina, sugerindo uma relação entre a carência da vitamina D e uma maior atividade inflamatória no fígado e progressão da fibrose hepática.

Mas atenção: não vá tomando vitaminas por conta própria! A dosagem errada, ao invés de aumentar a chance de cura, pode causar prejuízo à sua saúde. Isso vale para qualquer pessoa, mas especialmente para nós que apresentamos problemas no fígado e, mais ainda, para aquelas que estão em tratamento da hepatite C. Apenas seu médico deverá receitá-la. 

O que você pode fazer, se quiser, é aumentar a ingestão de alimentos ricos em vitamina D. O ideal seria fazê-lo com a orientação de uma nutricionista, para evitar, por exemplo, que os alimentos escolhidos também impliquem num aumento do consumo de gordura.

Alimentos ricos em vitamina D:

Fonte: Tua Saúde
Atum fresco (90g): 3.6 mcg
Sardinha fresca (100g): 5.2 mcg
Sardinha enlatada (100g): 17 mcg
Manteiga (1 colher): 0.45 mcg
Cogumelos (100g): 0.65 mcg
Leite (1 copo): 0.17 mcg
Gema de ovo (100g): 0.53 mcg
Ovo de galinha (100g): 0.8 mcg
Fígado de boi (100g): 1.12 mcg
Iogurte (1 potinho): 1.2 mcg

Aproveite e veja aqui várias receitas com atum fresco.
Não testei, mas a aparência é ótima.

Minha situação pessoal


Meus exames de rotina do primeiro semestre mostraram que eu estava com deficiência de vitamina D, apesar de estar tomando suplementação há alguns meses, com acompanhamento da nutricionista. Diante desse resultado, meu infectologista aumentou a dose da suplementação, que agora tomo duas vezes ao dia para melhor absorção.    

Aproveitando a oportunidade, compartilho com vocês que felizmente estou muito bem, obrigada. Com exceção de TGO, TGP e GGT (sempre aumentadas, lembrando-me insistentemente que, apesar de eu não sentir nada, o vírus está lá causando um processo infamatório no meu fígado), dos eosinófilos (sempre altos por causa de alergia respiratória) e da insuficiência de vitamina D e de cromo, o resto dos exames está "de atleta". E olha que dessa vez foram 23 páginas de exames! 

Como eu sei que alguns de vocês se interessam pelos números, lá vai:
- TGO: 90 U/L (valor de referência - feminino: 13 a 35 U/L)
- TGP: 90 U/L (valor de referência: 10 a 49 U/L)
- GGT: 65 U/L (valor de referência - feminino: menor que 38 U/L)
- Vitamina D: 27,0 NG/ML (insuficiência: 10 a 29.9 NG/ML)

A orientação de meu médico é que, se o quadro continuar como está (que é a tendência), iniciarei novo tratamento somente após a Copa do Mundo de 2014. E, se as pesquisas continuarem evoluindo como esperado, há chances de utilizar medicamentos que dispensem o interferon e a ribavirina. Já pensou que sonho?

Até lá, sigo me cuidando (alimentação, atividade física e saúde emocional) e fazendo os exames de acompanhamento semestral. 



Algumas fontes de consulta: 

domingo, 5 de agosto de 2012

"Esperançar"


"Sou sempre otimista, porque o pessimista é, antes de tudo, um desistente.
Ele passa mais tempo tentando provar que algo não vai dar certo em vez de usar o mesmo tempo para fazer com que funcione."
Cortella

Foto: S. Reachers - Flickr CC
Ninguém falou que é fácil conviver com a hepatite C, seja você portador do vírus ou familiar.
Ninguém falou que é fácil passar pelo tratamento. Pelo contrário, é sim muito difícil. 
Ninguém falou que é fácil, após todo o sofrimento do tratamento, não conseguir ficar curado. 

Eu posso falar dessas três coisas por experiência própria.
E posso também dizer que a forma como nos relacionamos com isso é o que faz a diferença em nossas vidas. 

Podemos usar nosso tempo vitimizando-nos e perguntando "Por que comigo?" [é legítimo, apesar de inútil]. Ou podemos empregá-lo em outra direção: "Ok, aconteceu comigo, seja eu culpado ou não. O que posso fazer a respeito?"

Trago as ideias do professor Mario Sergio Cortella sobre o otimismo, postadas hoje no Facebook por Adriana Salles Gomes, Editora Executiva da HSM Management, para nos ajudar nessa reflexão.

Perguntei ao Prof. Mario Sergio Cortella: "China e Índia ensinarão ao mundo sobre o longo prazo. E o que o Brasil ensinará? Otimismo? Você é otimista?"
E sua resposta foi esta: 

"Sou sempre otimista, porque o pessimista é, antes de tudo, um desistente. Ele passa mais tempo tentando provar que algo não vai dar certo em vez de usar o mesmo tempo para fazer com que funcione. Mas sou um otimista crítico, porque ser otimista não significa ser tolo. Otimista crítico é aquele que tem esperança do verbo 'esperançar' e não do verbo 'esperar', de ficar sentado esperando. 
Acho que otimismo e esperança são características do brasileiro em geral e podem ajudar o mundo. Também me orgulho da alegria brasileira. Já escrevi que louco não é o povo que para por quase uma semana para brincar, como fazemos no Carnaval; louco é o povo que nem pensa em parar. Esse ócio recreativo, como o chamo, é o tempo para si, necessário para pensar e fazer escolhas, para as ideias virem e resultarem em inovação mais adiante; não pragmatismo e não imediatismo são valores que deveriam estar presentes no cotidiano de todos os povos. Mas talvez a principal sabedoria brasileira seja a da diversidade... Diversidade é simplesmente o segredo da vida humana, do sucesso. É a antropodiversidade que viabiliza o confronto e a recombinação de ideias, que gera riqueza – em todos os significados de riqueza."

Portanto, esperancemo-nos! Tenhamos fé, mas façamos a nossa parte: cuidados para consigo mesmo e para com os outros, prevenção, acompanhamento médico, estilo de vida saudável (sem ingestão de bebidas alcoólicas, hein?) e, sempre que possível, evitar situações estressantes.   

Estejamos atentos à importância do ócio recreativo: invistamos esse tempo em nós mesmos.

E esse recado vale pra todo mundo - com ou sem
hepatite C. Ok, vou relativizar a parte da bebida alcoólica: se você não é portador, pode beber um pouquinho. 
Um pouquinho, eu disse.
Seu fígado agradece. ;)

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Prece pelos doentes



Senhor dos Mundos, Excelso Criador de todas as coisas,

Venho à Tua soberana presença neste momento, para suplicar ajuda aos que estão sofrendo por doenças do corpo ou da mente.

Sabemos que as enfermidades nos favorecem momentos de reflexão, e de uma aproximação maior de Ti, pelos caminhos da dor e do silêncio.

Mas apelamos para tua misericórdia e pedimos:
Estende Tua luminosa mão sobre os que se encontram doentes, sofrendo limitações, dores e incertezas.

Faz a fé e a confiança brotarem fortes em seus corações.

Alivia suas dores e dá-lhes calma e paz.
Cura suas almas para que os corpos também se restabeleçam.

Dá-lhes alívio, consolação e acende a luz da esperança em seus corações, para que, amparados pela fé e a esperança, possam desenvolver o amor universal, porque esse é o caminho da felicidade e do bem-estar... é o caminho que nos leva a Ti.

Que a Tua paz esteja com todos nós.