ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 6 de dezembro de 2014

A bandeira das hepatites e os novos medicamentos

Infectados com hepatite C no Brasil e seus familiares vivem momento de grande expectativa. A Ciência avançou muito no tratamento da hepatite C, e muito em breve os novos medicamentos (Sofosbuvir, Daclatasvir, Simeprevir) - com chance incrível de cura acima de 90% e sem os temíveis efeitos colaterais do tratamento atual - estarão disponíveis no SUS.

Foi o que garantiu o Dr. Fábio Mesquita, diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde nesta semana, durante manifestação coordenada pelo Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite e apoiada por Ongs e voluntários de todo o País.


Na última quinta-feira (04/12), uma enorme bandeira de 250 metros, completamente assinada por pessoas que apoiam a causa das hepatites, foi aberta em frente ao Departamento. Ao mesmo tempo em que os ativistas agradeciam ao Ministério da Saúde pelas ações relacionadas à hepatite, especialmente no último ano, solicitavam mais rapidez na aprovação dos novos medicamentos para hepatite C pela Anvisa.

Estiveram presentes representantes de Ongs de diversas partes do Brasil, deputados federais (como a deputada Erika Kokay, que se comprometeu a fazer um pronunciamento sobre as hepatites na Câmara), coordenadores de hepatites nos estados e a equipe do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, representada pelo próprio diretor Dr. Fábio Mesquita, pelo Dr. Evaldo Stanislau e técnicos do Departamento.


Dr. Fábio ressaltou a evidência científica dos novos medicamentos, lembrando os resultados apresentados recentemente no "The Liver Meeting 2014 - AASLD  2014", ocorrido em Boston no mês passado. "Existe agora a evidência científica da vida real, não apenas nos estudos controlados de laboratório, efetivamente vemos na vida real uma taxa de cura de 90%" - disse ele. Quem está feliz, levanta a mão aí! o/

Ele ressaltou também a negociação inédita com os fabricantes dos medicamentos, que resultou num desconto de mais de 90% sobre os preços praticados nos Estados Unidos e Europa (dados do Grupo Otimismo). Isso quer dizer que o novo tratamento custará mais barato que o atual. Isso mesmo! Com o mesmo valor que se trata um paciente hoje com terapia tripla, poderão ser tratados 2,5 pacientes com os novos medicamentos, muito mais eficazes e com muito menos efeitos colaterais. Brasil sil sil!


O que está faltando para esses medicamentos serem disponibilizados? Apenas a aprovação da Anvisa. Segundo o Dr. Fábio, o novo protocolo de tratamento já está pronto. Possivelmente sejam necessários mais uns 60 dias após essa aprovação, para os demais trâmites. Mas a expectativa do Ministério da Saúde é que eles estejam disponíveis já no primeiro trimestre de 2015.

É claro que existe motivo para a demora da Anvisa. Vejo muita gente reclamando como se os funcionários da Anvisa estivessem lá parados jogando paciência no computador ao invés de liberarem os medicamentos. Existe um processo, existe uma burocracia. E, pelo que entendi pelo que foi divulgado da reunião entre as Ongs de Hepatite, Departamento DST, Aids e Hepatites Virais com o Ministro da Saúde Arthur Chioro e presença do presidente da ANVISA e do Diretor de Ciência e Tecnologia (CONITEC), que ocorreu no mesmo dia da manifestação, os fabricantes dos medicamentos ainda não forneceram alguns dados faltantes, como também não registraram o preço de venda ao público - o que é essencial para a aprovação pela ANVISA (primeiro) e incorporação ao SUS (segundo).

Sinceramente, me incomoda muito ouvir pessoas que não estão acompanhando de perto todo esse processo falando mal do Governo, como se ele estivesse querendo nos matar. O pessoal está trabalhando e as coisas estão de fato acontecendo - não com a agilidade que nós gostaríamos, mas a vida real não é assim: existem trâmites que devem ser seguidos. Tratar da saúde das pessoas é MUITO sério, não se pode abrir mão do rigor do processo. Ou pode? Não, não pode. É para parar de brigar então? Não! Essa é a nossa parte. Acompanhar, cobrar. Por isso eu também estava lá, com a minha filha, segurando aquela bandeira. E ensinando para ela, hoje com apenas 7 anos, que quando a gente quer que alguma coisa mude, não basta ficar reclamando no Facebook. E quando o Dr. Evaldo perguntou a ela porque ela tinha ido, o que ela queria, ela respondeu: "Eu quero que a mamãe fique boa." <3      


A reunião com o Ministro da Saúde durou duas horas, e os representantes das Ongs saíram de lá muito animados.

Saímos de lá com a certeza e confiança que agora estão todos juntos trabalhando para acelerar ao máximo a aprovação dos medicamentos para tratamento oral, mas que devemos compreender que existem disposições legais que não podem ser ignoradas - Carlos Varaldo, Grupo Otimismo. 



Conclusão: vamos pensar positivo e parar de intoxicar nossos fígados com energias negativas. 2015 está batendo à nossa porta  e, com certeza, traz consigo a cura de muitos de nós.


Um ótimo Natal e feliz ano novo para todos! 
E obrigada por mais um ano que passamos juntos. É para vocês que o Animando-C existe. 



Quer saber mais sobre os novos medicamentos? Confere aqui:



Na mídia:





Já curtiu o Animando-C no Facebook para ficar sempre
por dentro das últimas notícias? Te espero lá!