ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Carta aberta à presidenta reeleita Dilma Roussef

V. Ex.ª Dilma Roussef,


No momento em que a parabenizo pela sua reeleição, venho lembrar-lhe alguns assuntos que temos pendentes.

A Anvisa acaba de priorizar os novos medicamentos para hepatite C e eu espero, sinceramente, que eles sejam incorporados ao SUS nos próximos meses.

Não falo apenas por mim, que sou mãe e quero viver para ver minha filha crescer, mas também em nome de todos os leitores do Animando-C - portadores do vírus e/ou seus familiares, que em alguns casos têm nesses medicamentos a última esperança.

V. Ex.ª sabe o que é padecer de uma doença grave e teve a abençoada experiência da cura.

Pedimos encarecidamente que V. Ex.ª e os excelentíssimos senhores Ministro da Saúde Arthur Chioro e Fábio Mesquita, Diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais,  tenham um olhar carinhoso para nós, milhões de brasileiros que tiveram a infelicidade de ser infectados com o vírus da hepatite C nas mais diversas situações - no meu caso, numa transfusão sanguínea quando ainda criança.

Como V. Ex.ª, também achamo-nos merecedores da dádiva da cura e sabemos que nossa chance com os novos fármacos é superior a 90%.

Entendemos que existe uma limitação orçamentária, mas também conhecemos nossa lei maior, a Constituição Brasileira, que nos diz que:

Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação.

O mercado não está acima da vida das pessoas. E é por isso que, falando por mim, agradeço pela manutenção no poder de um governo centrado em pessoas. Agora desejo ver isso cada vez mais sendo expandido na prática. Não me parece justo que apenas os mais ricos, com condições de arcar com os novos medicamentos, possam ser beneficiados por eles.

Por tudo o que tenho acompanhado nos últimos meses, acredito sinceramente que o Brasil dará esse grande passo rumo à erradicação da hepatite C no País e desejo muito poder usar esse mesmo espaço em breve para agradecer o Governo Federal por medidas nesse sentido.

Aproveito para pedir que a elastografia hepática seja incorporada ao SUS em todos os estados, substituindo a biópsia hepática, para que os portadores de hepatite C não sejam submetidos a um procedimento invasivo e com riscos como a biópsia, desnecessariamente.

Por último, mas não menos importante, peço que lembrem dos 95% de portadores de hepatites ainda não diagnosticados, que estão vivendo sem saber que carregam uma bomba relógio dentro de si, sem tomar os cuidados para minimizar os prejuízos ao fígado ou para não infectar outras pessoas, como familiares próximos.

As campanhas de hepatite ainda são insignificantes em comparação com as campanhas de Aids, por exemplo, mesmo que levem mais brasileiros a óbito por suas complicações do que o HIV.

Já passou da hora desse cenário ser mudado no Brasil. Acompanhamos os avanços, especialmente do último ano, mas eles ainda são insuficientes para quem possui tanta ânsia de viver.

Aguardamos ansiosos pelas próximas notícias do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, ao passo que desejamos que V. Ex.ª, ao final dos próximos quatro anos, seja reconhecida como digna e merecedora do voto da maior parte do povo brasileiro.

É com emoção que me despeço, desejando que Deus abençoe a V. Ex.ª e ao nosso Brasil, e reafirmando que continuo à disposição para ajudar no que for necessário, pois acredito, acima de tudo, na importância da participação civil na construção de um País melhor.



Respeitosamente,

Ana Paula de Barcellos, Brasília/DF
Uma brasileira que também não foge a luta.


Eu e minha filha Amanda, entre os milhões de brasileiros
que acreditam e contam com V. Ex.ª