Uma em cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

1º de dezembro - Dia de luta contra a AIDS. Preconceito: você tem certeza que não tem?


Ok, estou uma semana atrasada com este post. Esses dias têm sido tão corridos, que, embora tenha em mente muitas coisas para escrever, falta tempo para transportar as idéias para o Animando-C.

Mesmo que rapidinho, precisava dizer o quanto amei a campanha do Ministério da Saúde nesse Dia Mundial de Luta contra a Aids, da qual faz parte o banner acima.

Criativo, instigante e profundo.

Existe preconceito contra o HIV? E contra a hepatite C?
Sim, e temos que reconhecer que o preconceito não está ali fora, andando pelo corredor.
Ele está dentro da gente.

Confesso que, em momento de crise no casamento, cheguei a pensar que, se tivesse que me separar, teria que ter consciência de que era pra ficar sozinha pro resto da vida. Afinal, quem ia querer um "amor-problema"? Na época, não me convenceram argumentações do tipo: "conheço pessoas que têm HIV e namoram normalmente, mesmo com pessoas não infectadas" ou "o ser humano é muito solidário" (até porque, nessa hora, não estaria atrás de caridade).
Argumentos racionais não funcionam nesse caso, simplesmente porque é um sentimento e, como tal, não é racional.

Para refletir: onde estaria o preconceito nesse exemplo, senão dentro de mim mesma???

Passemos às próximas perguntas inconvenientes (pode responder com sinceridade, ninguém está lendo seu pensamento):

- Você começaria um relacionamento amoroso com uma pessoa que tem HIV ou hepatite?
- Você não se importaria se seu filho/filha começasse a namorar alguém com HIV ou hepatite?

Se viver com preconceito não é possível,
que tal começarmos a rever os nossos próprios preconceitos?

video
O vídeo acima foi motivo de polêmica. O que você acha?

Conheça também a dimensão interativa da campanha:

3 comentários:

  1. Legal essa enquete, eu acho q é delicada essa questão mas depende da situação.Sinceramente, não consegueria levar um relacionamento adiante com uma pessoa infectada pelo HIV, pelo simples fato de não aguentar ver a pessoa sofrer.Mas não deixaria de ter laço afetivo com ela.Pois, isso não significa q eu tenho preconceito ou não tenho nenhum sentimento por ela.
    Gostei da enquete!! Sua sensibilidade e generosidade é sempre muito bem vinda.
    Bjs ,
    Flavia Cabral

    ResponderExcluir
  2. Enquete ingteressante...
    Eu que sou mãe não saberia responder a pergunta... Mas todos nós somos passíveis de muitas coisas, encontros e desencontros na vida. Agora, o preconceito é visível em todos os ambientes...
    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Enquete instigante.
    O fato de me relacionar (ou não) com pessoa portadora pode não significar "preconceito". Por isso, o erro nas perguntas. As escolhas pessoais são variadas, múltiplas, podem sobrepor esse rótulo. Abaixo todo o tipo de preconceito.

    ResponderExcluir

Oi! Que legal que vc vai escrever alguma coisa! Assim, vc ajuda a "dar alma" ao blog.
Gostou? Não gostou? Quer dar sua opinião? Acrescentar mais alguma coisa? Compartilhar sua experiência? Será muito bem-vindo!
Um abraço!


PS: Fique atento que os comentários são indexados pelo Google. Portanto, se você quiser permanecer anônimo, não comente usando sua conta do Google, mas sim como "anônimo" ou com um nome fictício, ok?