Uma em cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 11 de dezembro de 2010

Novos medicamentos são esperança na luta contra a hepatite C

A mídia vem noticiando nos últimos meses o lançamento de medicamentos mais eficazes para o tratamento da hepatite C. Estamos diante de um enorme avanço, o qual deve chegar às prateleiras já em 2011.

By Ignis - Mediawiki Commons

Os novos medicamentos são os inibidores de proteases: Telaprevir e Boceprevir.
Ambos são antivirais que, utilizados* junto com os medicamentos disponíveis até agora (interferon e ribavirina), aumentam em muito a possibilidade de resposta sustentada, ou seja, a chance de cura.

* Para o tratamento, opta-se pelo Telaprevir ou pelo Boceprevir, a critério do médico assistente, ressaltando que não são tomados juntos. 

Sobre as chances de cura, posso dar um exemplo prático baseado num argumento de autoridade, pois é o meu caso: passei em 2008 pelo tratamento hoje disponível e não funcionou, conforme relato no post "O soldado que sorri". Por pertencer ao genótipo 1, minhas chances de ficar curada na época eram de 40 a 60%. Num segundo tratamento utilizando apenas esses dois medicamentos novamente, a chance de sucesso caía para 12 a 22%. Agora, associando um inibidor de proteases, passo a ter 70% de possibilidade de cura.

Quando li pela primeira vez o resultado final das pesquisas com esse índice de 70%, confesso que chorei de emoção.

Outra enorme vantagem com a chegada dos novos medicamentos é a possibilidade de redução do tempo de tratamento. Quem já leu sobre os efeitos colaterais no "diário do meu tratamento", sabe que qualquer diminuição nesse período faz muita diferença.

Ainda estou discutindo com meu médico se começarei novo tratamento logo que lançados o Telaprevir e Boceprevir ou se esperarei o lançamento de uma segunda linha de antivirais, os inibidores de polimerases, para utilizar junto como um coquetel. Nesse caso, seriam quatro medicamentos "porretas" martelando o vírus ao mesmo tempo, cada qual com suas armas próprias.

Não há previsão para o lançamento dos inibidores de polimerases no mercado, mas posso me dar ao luxo de pensar em aguardar pelo fato de meu fígado ainda estar em boas condições.

Felizmente, nos dias atuais existem muitas pesquisas em andamento e há um investimento pesado dos laboratórios. Por isso, não desanimo. Pelo contrário, a cada nova divulgação de resultados, mesmo que parciais, renovo minhas esperanças. Ainda escrevo pra vocês um post com o título "Estou curada!". Me aguardem...


Entendendo como atuam os medicamentos:

Interferon: é uma substância produzida normalmente pelo organismo humano e tem a função de atuar como mediador entre várias células que ajudam a nos defender de infecções causadas por vírus agressores (como o da gripe, por exemplo), inibindo ou interferindo com a multiplicação desses vírus. Os interferons também impedem o crescimento de certos tipos de células cancerosas, estimulando o nosso corpo a lutar com elas. Fonte: Dra. Shirley de Campos
Ribavirina: destrói o vírus gerando mutações em excesso, causando uma grande surpresa no vírus que a droga ataca, alterando e deformando o RNA como seu material genético. Fonte: Descoberto como atua a ribavirina - Grupo Otimismo
Inibidores de Proteases: atacam diretamente o vírus da hepatite C, ligando-se à enzima protease e impedindo assim a reprodução do vírus. Fonte: Drogas antivirais elevam chances de cura para hepatite C - Folha
Inibidores de Polimerase: são similares na sua forma de agir aos inibidores de proteases, atuando sobre proteínas ou enzimas que são necessárias para a replicação do vírus. Fonte: Dados positivos na pesquisa com um inibidor de polimerase no tratamento da hepatite C - Grupo Otimismo

Você pode saber mais sobre novos medicamentos para tratamento da hepatite C visitando os links abaixo:
Inibidores de proteases:
Pesquisas de outros medicamentos:

4 comentários:

  1. Super importante essa divulgação e esclarecimento! Que venham mais pesquisas!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Lola! Estou bem esperançosa por aqui...

    ResponderExcluir
  3. Gabriela Gaspeini5 de maio de 2011 21:18

    Flor, acabei de encerrar uma batalha contra o virus, como vc. Sou genotipo 1, tentei o tratamento por 36 semanas porem nao negativei.... Estou no aguardo das novas medicacoes! Bjos Gabi

    ResponderExcluir
  4. boa tarde meu nome é wilson e meu genotipo i e o estado do meu figado f3 ou f4 serar com esse novos medicamento posso ser curado

    ResponderExcluir

Oi! Que legal que vc vai escrever alguma coisa! Assim, vc ajuda a "dar alma" ao blog.
Gostou? Não gostou? Quer dar sua opinião? Acrescentar mais alguma coisa? Compartilhar sua experiência? Será muito bem-vindo!
Um abraço!


PS: Fique atento que os comentários são indexados pelo Google. Portanto, se você quiser permanecer anônimo, não comente usando sua conta do Google, mas sim como "anônimo" ou com um nome fictício, ok?