ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

sábado, 30 de abril de 2011

Aprovação de medicamentos mais eficazes contra hepatite C está próxima

Quem espera, como eu, o lançamento de novos medicamentos para o combate à hepatite C, teve duas ótimas notícias nesta semana: um comitê consultivo formado por especialistas estadunidenses recomendou à FDA (a agência americana que controla medicamentos, como a Anvisa no Brasil) a aprovação do Boceprevir e Telaprevir. Tratam-se de dois inibidores de proteases que, associados ao tratamento já existente, aumentam [e muito] a chance de cura da hepatite C.

Saiba mais sobre os novos medicamentos no tratamento da hepatite C, entenda como funcionam e porque eles são esperados com tanto otimismo:


Imagem de Domínio Público


Embora a FDA não seja obrigada a seguir a recomendação do comitê, é isso o que geralmente ocorre. Algumas notícias veiculadas na mídia chegam a dizer que no máximo até 23 de maio ambos os medicamentos sejam aprovados pela FDA.

Ainda não há previsão clara sobre quando o Boceprevir e o Telaprevir serão aprovados pela Anvisa. Especialistas consideram possível que os medicamentos sejam lançados no Brasil ainda em 2011.

Aguardemos!


Se desejar ler mais sobre o assunto:

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Celebridades assumem a hepatite C

É grande o número de infectados com as hepatites B e C entre atores, músicos, jogadores de futebol e políticos. Um dos exemplos mais famosos é o da “atriz” e coelhinha da Playboy Pâmela Anderson, infectada ao fazer uma tatuagem junto com o ex-marido, utilizando a mesma agulha. Outra loira famosa é a Flor, do blog Animando-C, que estrela o filme Hepatite C, Sem Medo.

Pamela-Anderson-040929
Pâmela Anderson - Wikimedia Commons
Conheceremos neste post outros casos de famosos que assumiram a hepatite C publicamente.

Veja também: Ídolos do futebol são vítimas da hepatite C



Incidência de hepatite C entre artistas

Diz o senso comum que artistas seriam mais propensos ao uso de drogas devido ao próprio meio em que vivem e até para “liberar a criatividade”, o que lhes deixariam mais vulneráveis à infecção pelos vírus das hepatites por causa do compartilhamento de seringas e cânulos. Não entrarei no mérito de tal afirmação por se tratar de uma premissão bastante questionável, assim como irrelevante para nossa discussão.

O fato é que, celebridades ou não, todos se enquadram na estatística da Organização Mundial da Saúde de que uma a cada 12 pessoas no mundo está provavelmente infectada com uma dessas duas hepatites. A propósito, você que está lendo este post também está dentro dessa estatística, saiba você ou não.

Se o número é assim tão grande, por que não temos notícias disso?


  1. Porque quando uma pessoa pública assume uma doença infecto-contagiosa, muitas vezes torna-se alvo de preconceito, o que pode afetar diretamente a sua imagem. E, como sabemos, artistas vivem da imagem. O preconceito está em todo lugar, inclusive em Hollywood: leia também Hepatite C, preconceito e A Feiticeira.

  2. Porque ainda hoje apenas 5% dos casos de infectados pelas hepatites B e C no mundo já foram diagnosticados. Por ser uma doença sem sintomas, 95% das pessoas que contraíram o vírus há anos (ou até décadas!) ainda não sabe que porta um vírus potencialmente fatal. Por isso a importância de incentivarmos a população que, na próxima consulta, peça ao médico um exame de detecção das hepatites B e C. A propósito, VOCÊ já fez esses exames? Leia também: Hepatite C entre seus amigos e familiares.



Famosos que assumiram a hepatite C

Além de Pâmela Anderson, outras celebridades internacionais assumiram terem contraído o vírus da hepatite C. Vejamos os casos mais conhecidos:


  • Natalie Cole, cantora estadunidense filha do grande músico Nat King Cole, foi infectada na época em que era usuária de drogas. Sua condição de saúde é delicada, tendo sido submetida a um transplante de rim em 2009.


Wikimedia Commons


  • Steven Tyler, do Aerosmith, e Keith Richards, dos Rolling Stones. O primeiro foi submetido à terapia de interferon. O segundo diz ter curado-se da hepatite C espontaneamente. Não há menção oficial sobre a forma de infecção, mas… er… hum… ok, sem especulações.




Steven_tyler_hepatiteKeith_Richards_hepatite
Wikimedia Commons



  • O charmoso Chris Lawford Kennedy é sobrinho do ex-presidente estadunidense JFK e ator de Hollywood não tão conhecido no Brasil. É um exemplo a ser seguido, por usar sua fama nos Estados Unidos para divulgar a luta contra a hepatite C. Escreveu o livro C Sua Vida Mudasse, que já foi sugestão de leitura aqui no Animando-C, e faz palestras sobre o assunto. Foi infectado pelo uso de drogas.


Christopherlawford
Wikimedia Commons


  • Jim Carroll, escritor, é famoso por seu romance autobiográfico The Basketball Diaries, estrelado no cinema por Leonardo di Caprio. Como a história fala sobre seu vício em heroína, é a provável causa da infecção. Morreu em 2009 de ataque cardíaco.

diario-adolescente_hepatite
Foto: Divulgação


Veja a lista completa de pessoas com hepatite C da Wikipedia.




Personalidades brasileiras com hepatite C

No Brasil, é mais difícil encontrarmos casos oficiais de artistas portadores das hepatites C. Os não-oficiais, logicamente, não serão publicados aqui no blog.


  • Lembram do Pitoco, o assistente de palco da Eliana no programa Eliana & Alegria? Ele sofria de hepatite C e faleceu em 2009, aos 39 anos.


Foto: Divulgação


  • Uma brasileira que usa sua imagem pública na luta contra a hepatite C é Karen Matzenbacher. Se você é gremista (como eu) e acompanhou o nosso bi-campeonato da Libertadores da América (como eu), provavelmente lembrará (como eu) de seu casamento com Jardel na Catedral Metropolitana de Porto Alegre. Karen parece ser mais conhecida em Portugal do que aqui. Ela foi infectada com a hepatite C quando bebê. Saiba mais nessa reportagem: SOS – A silenciosa e mortal hepatite C.




karen_jardel_hepatitekaren_playboy_hepatite



  • Veja também o depoimento da atriz Cristiana Oliveira sobre a morte da irmã, em decorrência da hepatite C:







Sinceramente, acho um desperdício que nossos artistas, esportistas e políticos não assumam publicamente a hepatite C. Perdemos, assim, grandes oportunidades de lutar contra a desinformação e o preconceito. Mas, como eu disse várias vezes aqui no blog, trata-se de uma escolha pessoal de cada um, que deve ser respeitada. Leia também: Devo contar que tenho hepatite C?

Conhece mais algum caso oficial de celebridade portadora de hepatite C não citado aqui? Participe do blog compartilhando conosco nos comentários abaixo.

Atualização em 28/04/2011:
Morreu ontem, aos 56 anos, Neusinha Brizola, filha do ex-governador Leonel Brizola, de complicações decorrentes da hepatite C: Neusa Brizola (1954-2011) - Neusinha, filha de Brizola e cantora.

domingo, 3 de abril de 2011

A beleza pode influenciar na saúde?


Muitas vezes compartilhei com vocês aqui no blog várias questões relativas à beleza e saúde, como quando, durante o agressivo tratamento da hepatite C, eu brincava sobre como a doença me deixou na moda. Ou quando descrevi pra vocês o processo da cirurgia de varizes a qual fui submetida em fevereiro deste ano: Velha varizenta? Que nada! Cirurgia de varizes já!

O fato é que a beleza está diretamente relacionada à saúde. Ué, como assim? Explico: o conceito de beleza, que é subjetivo, anda junto com o conceito de autoestima. E nutrir estima por si próprio vai ao encontro do que a Organização Mundial da Saúde (OMS) define como saúde:
Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não simplesmente a ausência de doença ou enfermidade

Como falar em beleza e autoestima sem refletir sobre os padrões atuais do que a sociedade considera belo? É esta a conversa que convido vocês, homens e mulheres, a terem comigo no blog Apenas Mulheres de Verdade:


Aguardo vocês por lá.

Conectando-C: A influência da internet na vida de portadores de Hepatite C

A querida @grazieguimaraes, de Bauru/SP, está realizando uma pesquisa muito interessante para avaliar os impactos e influências da internet na vida dos portadores brasileiros de hepatite C.





Segundo a pesquisadora:

Pretende-se observar como os indivíduos portadores da doença comportam-se no ambiente virtual, utilizando-se das ferramentas disponíveis na rede mundial de computadores e de que forma essas ferramentas auxiliam no reconhecimento e reconstrução de suas identidades sociais, bem como no tratamento medicamentoso ao qual são submetidos. 

A pesquisa faz parte do Trabalho de Conclusão de Curso da Graziele em Jornalismo, na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação Social da Unesp Bauru, sob a orientação do Prof. Dr. Cláudio Bertolli Filho.

Eu já respondi o questionário online e convido-os a fazerem o mesmo.
É muito simples! Basta acessar o link abaixo e seguir os passos:

  • clicar em CONCORDO no final da página (aceitação de participar);
  • clicar no link do questionário que você encontrará na página;
  • responder todas as questões e clicar em ENVIAR.  



Importante: seus dados não serão divulgados.
Participe!