ALERTA: Uma a cada 12 pessoas no mundo pode ter hepatite B ou C, sem saber. Não há sintomas e o vírus não é detectado em exames de rotina. Tem certeza que você não tem? Faça o exame, é gratuito.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Hepatite C: 7 coisas que você precisa saber quando descobre que tem a doença (fique atento à última)

Antes de ler esse artigo, entenda porque ter um resultado de anti-HCV reagente não significa ser portador de hepatite C. Se você acabou de ter a confirmação de seu diagnóstico, talvez também queira ler: Meu exame de hepatite C deu positivo, e agora? 

7 coisas que você precisa saber quando descobre que é portador de hepatite C




1. A hepatite C é uma doença grave, apesar de às vezes não apresentar sintomas por décadas.

Sim, você pode sentir-se completamente saudável mesmo estando infectado. No entanto, as complicações da hepatite C podem comprometer sua qualidade de vida e levar à morte.
Isso quer dizer que você não deve negligenciá-la: faça consultas com seu médico regularmente e realize todos os exames que ele solicita, mesmo que você esteja se sentindo forte como um touro. Com essa doença, não se brinca.

Leia também: Hepatite C crônica: exames necessários



2. É preciso ter cuidado para não infectar outras pessoas, mas sem neurose.




Não precisa ficar lunático achando que infectará alguém. Basta ter cuidado com situações que envolvam seu sangue.

Não compartilhe aparelhos perfuro-cortantes (alicate de cutícula, aparelho de gilette, seringas etc), nem escova de dente.

A transmissão sexual acontece muito raramente e, possivelmente, apenas quando há sangue envolvido. Não há consenso de recomendação para que casais monogâmicos usem preservativo, mas você pode optar por usar se quiser.

Mas lembre-se que agora você sabe que tem uma doença grave e PRECISA proteger-se para não ser co-infectado com outros vírus como HIV e HPV. Nesse caso, você teria um problema ainda maior. Portanto, previna-se!

Leia também: Hepatite C é uma doença sexualmente transmissível? 



3. O tratamento com interferon e ribavirina é agressivo e cheio de efeitos colaterais, mas nada que a gente não sobreviva.




O ser humano evita sofrimento e, obviamente, ninguém gosta de ficar meses passando mal. Mas se isso é para acabar com o vírus e, consequentemente, manter-nos vivos, a gente aguenta. Pode parecer que nunca acabará, mas acaba. Portanto, não baixe a cabeça, persista. Somos mais fortes do que isso.

Leia também: Hepatite C: Diário do meu tratamento




4. Há muito investimento em pesquisas de remédios para hepatite C por parte da indústria farmacêutica.




A medicina já avançou muito e estão chegando ao mercado muitos medicamentos com mais eficácia e menos efeitos colaterais. Alguns, inclusive, que dispensam o uso de interferon. Isso quer dizer que a perspectiva de cura dos portadores de hepatite C nos próximos anos é muito animadora!

Fala-se, inclusive, que daqui a algum tempo a hepatite C será uma doença que não existirá mais. Isso não é lindo?

Leia também: Novo tratamento da hepatite C cada vez mais próximo



5. O vírus está agredindo seu fígado, e, enquanto você estiver infectado, não há como evitar que ele faça isso.


No entanto, você consegue fortalecer seu organismo para dificultar o trabalho dele. "Ah, vírus da hepatite C, está querendo me matar, né? Então deixa eu ficar forte para você ver se é fácil acabar comigo". ;)

Opte por uma alimentação saudável, com baixa ingestão de gordura e ZERO álcool.



Faça exercícios físicos regularmente. Por exemplo, uma caminhada de 30 minutos, todos os dias, é uma grande aliada contra a esteatose (gordura no fígado).

Não existe uma recomendação específica para portadores de hepatite C: siga as orientações do que qualquer ser humano deveria fazer para ter uma vida saudável.

Leia também: Hepatite C e estratégias para manter-se saudável

Está animado para entrar na onda da corrida de rua e não sabe como começar? Esse treinamento em áudio MP3 pode ajudar e custa bem mais barato que um personal trainer. ;)  [link afiliado]


6. Você não precisa ter vergonha de ter hepatite C.



Você não é sujo, não fez nada de errado, nem está sendo castigado por algo. Qualquer um pode ser infectado com um vírus como a hepatite C, porque todos nós fomos expostos a várias situações de risco, especialmente na década de 80.

Se você tem hepatite C, isso apenas significa que você é humano. Podia ser com qualquer um.

Por isso, você não precisa envergonhar-se.

Algumas pessoas terão preconceito? É possível que sim. Mas eu, particularmente, gosto de contar para saber logo quem são essas pessoas e deixar de relacionar-me com elas. Não me fazem falta.

Mas fique atento ao item 7.

Leia também: Existe preconceito contra hepatite C?



7. Você não precisa contar a ninguém que tem hepatite C, se não quiser.

É recomendado, logicamente, que você compartilhe com seus familiares mais próximos. Lembra do item anterior? Não há razão para vergonha. A honestidade faz parte das relações saudáveis e o apoio das pessoas queridas é muito importante na luta contra essa doença. Não passe por isso sozinho!



Mas você não precisa contar no seu trabalho, nem para aquele parente chato, nem para aquela pessoa que não gosta de você.

Você não precisa contar no dentista, nem na endoscopia, nem no salão de beleza, nem no tatuador etc, porque todos esses profissionais tem OBRIGAÇÃO de tomar as medidas necessárias para evitar transmissão de doenças de um cliente para outro. Mesmo porque mais da metade dos infectados com hepatites nem sabem que estão infectados mesmo e, portanto, não teriam como avisar coisa alguma.

Mas você tem a obrigação de escolher lugares sérios e é recomendável checar com os profissionais se eles agem de acordo com as normas de segurança. Mas aí eles não desconfiarão? Não, possivelmente acharão que você é uma pessoa super preocupada com a sua própria saúde e com medo de ser infectada com algo - o que também é verdade.

Leia também: Devo contar que tenho hepatite C


8. Hepatite C não significa o fim - Oito? Esse item vem de BÔNUS!

Pode ser que a gente fique desesperado na hora em que é diagnosticado, o que é natural. Mas essa sensação deve ser substituída pelo desejo de viver.

A hepatite C pode ser um divisor de águas em sua vida: você pode aproveitar essa experiência para rever os caminhos que tem trilhado, suas escolhas e repensar o que quer ou não em sua vida.
E, a partir daí, fazer as mudanças que precisam ser feitas.



Não é para "pirar o cabeção" e sair por aí fazendo o que quiser, no estilo "o que você faria se só te restasse um dia?". Mas uma oportunidade para refletir como gostaria de viver sua vida e agir para isso.

É o que tenho feito e vocês acompanham aqui no blog Animando-C. Quem vem comigo?


Leia também: Hepatite C e o seu precioso tempo


Já curtiu o Animando-C no Facebook para ficar sempre
por dentro das últimas notícias? Te espero lá! 

sábado, 6 de setembro de 2014

Novo tratamento da hepatite C cada vez mais próximo

Três novos medicamentos que prometem mais de 90% de cura da hepatite C já aguardam registro na Anvisa. São eles o sofosbuvir (da Gilead), o simeprevir (da Janssen) e, no final de agosto, também a Abbvie entrou com solicitação para seu tratamento 3D.  O cenário para os portadores de hepatite C no Brasil é muito animador!




No início do mês, o coordenador-geral de hepatites virais do Departamento DST/AIDS/HEPATITES, Marcelo Naveira, já mencionou mudanças no novo protocolo de tratamento da hepatite C, durante a 119ª Reunião da CNAIDS - no que se incluem os medicamentos livres de interferon para a hepatite C e a imunização da família em caso de diagnóstico positivo para o tipo B. \o/ Fonte: Grupo Otimismo

Tive a oportunidade de conversar recentemente sobre o assunto com o Dr. Hoel Sette - hepatologista e um dos maiores especialistas no tema no Brasil, com quem eu fiz meu primeiro Fibroscan. Lembram? Vejam aqui: Fibroscan na hepatite C  

Ele estava muito animado com essas perspectivas, me falou dos ótimos resultados dos seus pacientes já curados com os novos medicamentos através de ações judiciais e também dos movimentos políticos para agilizar a compra desses medicamentos pelo SUS (citando a Frente Parlamentar das Hepatites).

O resumo dessa conversa é: Animem-C, porque está bem perto de acontecer. :)


Notícias da Flor


Flor e Florzinha

Na semana passada, tive minha consulta semestral com o infectologista. Eu estava um pouco preocupada porque todos os marcadores hepáticos subiram bastante, mas ele disse que está tudo dentro da normalidade e que, se repetíssimos esses exames no mês seguinte, possivelmente já teríamos outra alteração - inclusive as taxas podendo cair de novo. Ufa!

Mas, sem dúvida, o principal tema da consulta foi: remédios novos. Como vocês, estou muito ansiosa por isso. Em princípio, eu faria uso do Sofosbuvir (nome comercial: Sovaldi). Como sou uma respondedora nula - quer dizer, não respondi ao tratamento interferon peguilado + ribavirina, eu devo tomar esses três medicamentos em conjunto (sofosbuvir, inteferon, ribavirina), por três meses.
    
Apesar de eu não querer três meses passando mal (só de lembrar dos efeitos colaterais já me dá calafrios o.O), vocês não têm ideia do quanto desejo fazer esse tratamento logo e me livrar desse tormento. Se pudesse, começava hoje mesmo hehe.

Minha decisão agora deve ser: entro na Justiça contra meu plano de saúde (o que tem um custo aproximado de R$ 20 mil) para fazer o tratamento mais rápido ou aguardo a incorporação dos medicamentos no SUS - o que todos os movimentos indicam que possivelmente acontecerá até meados de 2015. Dúvida. Ainda mais que, lá no fundo, ainda tenho a esperança de poder fazer um tratamento livre de interferon. :)

De qualquer forma, acredito do fundo do meu coração que esses bichinhos no meu sangue estão com os dias contados. Desculpa aí, bichinhos, mas vocês já cumpriram seu papel e é hora de ir.

Papel?? Que papel?

Primeiro, eles me deram a oportunidade de ajudar muita gente, sendo com meus relatos, com informações ou palavras de incentivo. Depois, eles me ensinaram que não vale a pena perder tempo e energia com coisas inúteis, que devemos correr atrás dos sonhos, investir no que gostamos e sermos felizes a cada dia, porque o presente é um presente. Também me ensinaram a cuidar mais de mim, da minha alimentação e do meu corpo e, hoje, minha aparência é muito melhor que há 10 anos atrás. Portanto, paradoxalmente, sou grata à hepatite C - mas agora já é hora de ela ir.

Assim que tomar minha decisão, compartilho com vocês. E, é claro, vocês estarão comigo em cada passo do novo tratamento, acompanhando tudo, como da última vez. Sim, eu também preciso de vocês. :)



Fique por dentro do que está rolando nos movimentos das hepatites:



ENONG 2014




Na próxima semana, de 11 a 14 de setembro, acontece em São Paulo o XI Enong - Encontro Nacional de ONG de Hepatites Virais. O evento é patrocinado pelo Ministério da Saúde, SUS, Secretaria de Vigilância em Saúde e Nações Unidas e teve recorde de inscritos neste ano.

Representantes de ONGs de todo o País estarão reunidos, compartilhando informações com especialistas e traçando metas de luta contra as hepatites para o próximo ano.

Infelizmente, neste ano não conseguirei estar presente. Mas podemos acompanhar informações pelo site do ENONG 2015http://enonghv2014.com.br




Participe de pesquisa sobre estigma e discriminação de portadores de hepatite C




Compartilho abaixo o convite do Grupo Otimismo. Eu já respondi!


Por acaso você infectado com hepatite não sofreu alguma vez estigma ou discriminação?

Participe da enquete (de forma totalmente anônima) para ajudar a conhecer quais são as situações onde o estigma e a discriminação estão presentes com maior frequência.

Com a sua participação será possível exigir das autoridades da saúde a realização de campanhas para diminuir o estigma e a discriminação dos infectados.

Participe da enquete. Nenhum dado pessoal é solicitado. Entre em https://pt.surveymonkey.com/s/3KMKBYQ e dedicando somente cinco minutos de seu tempo encontraremos, todos juntos, formas de combater o estigma e a discriminação nas hepatites.

Em três dias já responderam mais de 300 infectados, falta você!